30 de set de 2007

CONECTADO: o livro


Foi uma bela surpresa ler Conectado, de Juliano Spyer, da Jorge Zahar Editor. O livro conta um pouco sobre a história da internet e discute sobre as possibilidades de construção de redes sociais, como o relato de casos de sucesso como o "Leia Livro", da Secretaria do Estado de São Paulo. A partir de uma linguagem simples, Spyer apresenta as principais ferramentas para elaboração de rede social; porém o melhor do livro é o entusiasmo do autor no que se refere ao grande papel que a internet pode assumir nos próximos anos: a confiança, seja por meio de blogs, fóruns etc, no uso social, gerando boas idéias e unindo pessoas com uma causa em comum. Comprei por acaso este livro, folheei algumas páginas, fique interessado no sucesso do "Leia livro" e o "Viva São Paulo", ambos fruto do trabalho desse historiador e especialista em mídia social.

15 de set de 2007

Urbana Legio omnia vincit

Cheguei apressado em casa para assistir "Por toda minha vida", especial sobre a banda Legião Urbana, ontem à noite no canal Globo. Fiquei impressionado com o ator Bruce Gomlevsky. Nas cenas em que atuava como Renato Russo, ele estava maravilhoso, a milhas de distância dos outros atores. Arrependo-me de não tê-lo visto no musical sobre Renato Russo, que esteve em cartaz por um bom tempo na cidade do Rio de Janeiro. O programa foi emocionante, com os depoimentos, a dramatização, as músicas. Cada vez que surgia o Legião Urbana tocando, eram pensamentos, memórias de uma adolescência feliz no casamento com o Rock-BR que saltavam dos meus olhos. Quando ele morreu, juntamo-nos para realizarmos um espetáculo no auditório do curso de Letras, da UERJ. Na época, fazia parte do diretório acadêmico. Convidamos Arthur Dapieve para realizar uma palestra, distribuímos CD´s, e trouxemos uma banda cover do Legião. Foi uma bela homenagem. Lembro que alguns, ao final da festa, bêbados, caíam ao chão, tristes, chorando a morte de Renato Russo. Voltando ao programa...Minha única crítica, singela, vai para Fernanda Lima,. Mas que roupas eram aquelas que a mulher vestia? E que apresentação mais tatibitate: pausas longas no discurso, risos autocensurados, parecia bem desconfortável no papel. Mais uma prova de que somente beleza não resolve muito na telinha. O programa termina e ficou em mim, e acredito que para muitos, um gostinho de quero mais. Dizem que vem por aí uma cinebiografia. Esperar para ver e se emocionar. Enquanto isso, reler o livro de Arthur Dapieve da coleção "Perfil", da Relume Dumará e ouvir os CD´s, de preferência no volume alto!

14 de set de 2007

Novas tecnologias, novos acidentes

Acho que esta frase é de Baudrillard: "Toda nova tecnologia cria um novo acidente". Bem sucinta, percebo a cada dia, em sala de aula, principalmente, como acontece. Os novos celulares com MP3, por exemplo, estão mais do que nunca acessíveis. Parece que é o sonho dos adolescentes. Pois, bem, tem se tornado uma praga em sala de aula, por ser uma nova tecnologia, é preciso estabelecer regras de conduta. Os garotos assistem várias vezes as aulas com o fone de ouvido, ou pior, querem deixar tocar para que o amigo ouça e conheça novas músicas. Mesmo conversando e pedindo para que desliguem, sempre tem alguém que procura deixar no volume mínimo... Mais um fator de distração que acaba afastando o aluno da aula. Ideal seria aproveitar como um instrumento pedagógico, mas sinto que estamos, professores e conteúdos, cada vez mais distantes do aluno, portador de mp3, câmera e celulares. Falta o salto tecnológico para o giz e o quadro verde no cotidiano da escola. Claro que existe, porém ainda não acessível para muitos. Enquanto isso, torna-se importante aprender a conviver com esse novo acidente, que está ocorrendo também nos ônibus. Daqui a pouco teremos um adesivo (e eu espero que venha logo!) no ônibus e em vários outros lugares: "proibido celular com mp3".