3 de jun de 2012



The Umbrella Academy: Dallas ou terapia em família

Após o sucesso da publicação da minissérie americana em quadrinhos The Umbrella Academy: suite para o apocalypse, lançado pela Devir Livraria em 2009, eis que a dupla Gerard Way e Gabriel Bá lançam o segundo volume, também publicado pela Devir Livraria, embora com um certo atraso (nos Estados Unidos saiu no ano passado. Aqui no Brasil, neste ano de 2011). Para quem adorou os personagens, crianças adotadas com superpoderes que formam uma família, no mínimo problemática, vai se deliciar com esta nova minissérie, publicada em um único volume. Sir Hargreaves, o mentor, o homem que reuniu e formou esta família, está morto. Pogo, o macaco que representava a figura paterna, também. Os jovens estão agora dispersos, implicados com seus problemas mais íntimos, sem rumo, perdidos em comiseração e tristeza. 
Mas eis que um deles, Kraken, resolve investigar o que aconteceu com o Número Cinco e uma nova trama, que envolve viagens temporais, uma outra versão para o assassinato do presidente John Kennedy e a confusão está armada, envolvendo, aliás, a mais perigosa das armas, a bomba atômica. Novos e irresistíveis personagens surgem, como os assassinos Hazel e Cha-Cha. O desenhista Gabriel Bá, brasileiro, que junto com seu irmão Fábio moon (este, roteirista), vem conquistando cada vez mais espaço no mercado americano com o seu traço, às vezes caricato, mas bastante poético, bonito para olhar e admirar. Gerard Way parte do eixo principal que modela seus personagens e suas ações: elementos opostos, contraditórios, que emprestam forma e conteúdo à narrativa.  É a partir disso que Way, para quem não sabe, vocalista da banda My Chemical Romance, nos diverte com uma gama de personagens nem tanto originais, mas que nos remetem a uma época em que os quadrinhos  preocupavam-se em mostrar histórias divertidas, com fundo histórico, explorando ao máximo nosso imaginário. Difícil não lembrar de uma outra equipe, a dos X-men. Mas é tão divertida e ao mesmo tempo, envereda por caminhos e questões surreais, que esta aproximação afasta-se por completo. Parabéns para a Dark Horse, a editora que está publicando Academy Umbrella. Enquanto a DC Comics e a Marvel buscam outras mídias para seus personagens principais, não emplacando, nos quadrinhos, novos personagens, mas ao contrário, reciclando, propondo novas leituras dos mesmos, A Dark Horse vem crescendo por fora, como aquele cavalo que ninguém apostaria que pudesse frente aos maiorais nuam corrida. Dizem que vem por aí uma terceira minissérie, e não será espanto se alguma produtora de Hollywood  adaptá-la para o cinema. Não vai faltar público, haja vista os quadrinhos serem hoje a nova fonte de inspiração para a indústria cinematográfica. The Academy Umbrella: Dallas é a história de uma família que precisa exorcizar seus demônios, expiar suas culpas, uma família como outra qualquer, não fossem os poderes e suas maravilhosas aventuras.

Marcelo Alves